Páginas


Olá pessoas..
Eu, enfim, percebi definitivamente que, entre outros, a política é uma grande, enorme, gigantesca fonte de remedeio. Ôo entidadezinha que gosta de remediar as coisas...( provavelmente o ditado "antes prevenir do que remediar" é completamente ignorado pelos que a exercem). Você está entendendo o que eu estou dizendo mas ainda não entendeu o por que dessa conversa não é mesmo?! Então tah, vamos partir do início dessa história...
Numa bela manhã ( quase tarde, pra ser mais precisa ao meio-dia) estávamos eu e minha prima assistindo o jornal local quando começou uma notícia sobre a venda de carne ilegal -  você deve ter se perguntado: "carne ilegal?! O que isso tem a ver Tatiana? E eu digo: calma dignissimo leitor que daqui a pouco você entende. Volte ao texto por favor..^.^ - Então, como eu dizia, passava a tal reportagem e o jornalista se aproximou de um dos açougueiros clandestinos e perguntou o que ele achava sobre a interdição da sua barraca e da apreensão da sua carne ilegal, e  ele respondeu algo mais ou menos assim: " ninguém nunca esteve aqui pra me ensinar o serviço, ninguém nunca esteve aqui pra me dizer o que estava errado - até agora né meu caríssimo açougueiro- ou de como deveria ser feito". Então eu comecei a conversar sobre aquilo com minha prima e de repente, nada mais que de repente,  aquela famosa lampadazinha se acendeu sobre minha cabeça e falei com minha prima: " mulé, isso dá postagem! Ela sorriu e eu continuei: " é sério pow, esse assunto é serissimo e merece discussão. Vou escrever sobre isso no blog semana que vem". E aqui estou eu, contando, compartilhando, ou fazendo fofoca do governo, fica a seu critério. =)
O discurso daquele senhor humilde soou pra mim como um grito de revolta, um grito de " Como vocês querem oprimir pessoas produto do seu sistema? Como vocês querem nos punir por suas negligências? Por que vocês se incomodam por estarmos na rua, vendendo carne clandestina, roubando, ocupando imoveis vazios, propriedades rurais improdutivas, etc, se quem nos empurrou para esse caminho foram vocês mesmos? Vocês erram e nós "pagamos o preço", é isso?! Não me parece nada justo.. ". Não parece justo por que  NÃO É JUSTO!  E seguindo essa linha de pensamento continuei mergulhada nessa questão... "Se o governo não quer crianças/jovens nas ruas, expostas a todos os tipos de seduções e adultos que lhe querem roubar a infância por que eles não oferecem escolas de qualidade e atividades culturais e paradidáticas durante o turno oposto ao que estudam? ( ou alguém aqui acha que as crianças que estão na rua têm mais o que fazer, mas preferem ficar lá na rua pedindo dinheiro, vendendo balas ou furtando/roubando os traunsentes? Alguém consegue imaginar uma criança/ jovem dizendo: " eu vou ali pra aula de teatro e depois eu passo aqui pra fazer uns assaltos..me espera aii que eu já volto." ? Eu acho que não). 
Seguindo... Se o governo não quer jovens envolvidos com drogas por que não lhes oferece cursos profissionalizantes / universitários ( depois de uma escola de base, pública de qualidade)  que lhes permitam encontrar um emprego bem remunerado? Ou você acha que o dinheiro fácil do tráfico de drogas e o ilusório poder conferido através de armas potentes seriam tão sedutores se eles tivessem meios de conseguir o mesmo dinheiro e poder real através de um trabalho que não lhes custasse a vida, nem a sua, nem a de seus familiares? 
Se o governo não quer pessoas vendendo carnes clandestinas por que não se preocupam em ir à feira recrutar as pessoas que lá trabalham, no caso os açougueiros, para lhes ensinar como manusear e lhes dar as condições de conseguir carne inspecionada e local apropriado para o seu comércio? Você vai me dizer: "Por que isso tudo custa dinheiro minha caríssima Tatiana". E o que você acha que o governo usa para construir presídios, cadeias, alimentar os detentos, na manutenção das prisões, no recrutamento de mais políciais, mais agentes penitenciários, e outros gastos vinculados a isso? Dinheiro meu caro, e não é pouco não!  Sabe o quanto custa uma penintenciária federal? 25 milhões aproximadamente, isso só na edificação da penitenciária! Agora some a esse total a quantidade de despesas de 10 mil presos mensais que adentram o sistema prisional, já lotado, só em São Paulo. Agora, adicione mais  outros custos vinculados . Não se esqueça que essa contabilidade é de uma única penitenciária. Teve uma pequena noção? Pois é.. Isso sem contar que os presídios não reformam ou resocializam ninguém. Todos nós sabemos que ,na atualidade, nada mais são do que escolas para o crime. Ou vão me dizer que você realmente acha que alguém sai de lá reabilitado e arrependido? Se acha, eu sugiro que dê uma olhadinha nas estatísticas de reincidência de ex-detentos. Tenho a leve impressão que depois de fazer isso você não manterá sua opinião.
O perfil das pessoas que estão presas no Brasil hoje é:

82,7%  não trabalham*
86,5% não têm profissão*
48% estão abaixo dos 25 anos*
81,9 % têm o ensino fundamental incompleto*.

Será que é justo que pessoas sejam selecionadas para serem presas? Será que é justo serem condenadas a perder a liberdade e mergulhar num caminho de difícil retorno por que não viram outro caminho? Ou por que o crime é muito mais fácil do que a vida que lhes espera fora dele? Será que é justo condenar alguém a miséria e a sedução pela criminalidade por que ela não vê outro caminho para seguir? Não digo que as pessoas nao têm escolhas, mas que as pessoas têm opções mais fáceis, ou melhor, que são empurradas, por uma série de fatores, a escolher um dos caminhos por que o outro lhe parece fantasioso e de difícil acesso.
Diante do exposto é indiscutível que o problema do Brasil é social, não criminal. É questão de políticas públicas, não se construção de mais presídios. Eu não digo que se deve parar de impor penas, mas que elas não sejam tão seletivas e que paralelo a isso seja iniciada uma maneira de conter a violência e diminuir a criminalidade, afinal não queremos pessoas presas, queremos uma sociedade mais segura. Aí eu me pergunto: " Então, se se sabe a origem do problema, por que não prevenir? Por que essa opção por "remediar"?  E eu lhes respondo: eu tenho os meus achismos, tanto é que é sobre isso que eu vou produzir um artigo solicitado na universidade, mas agora eu quero saber de você. O que você acha disso tudo?

Pronto, falei. Agora é a sua vez.


Tatiana.


*Dados da DEPEN-MJ
Olá pessoar..
Bem, eu recebi um selinho do blog www.cafequenteesherlock.blogspot.com/  ( Obrigada T. S. Frank) e a entrega do selinho parece um joguinho de comunidade do orkut. Achei legal e vou aderir, além de aproveitar e indicar os blogs que eu sigo ( não a toa como vocês poderão constatar). Já que é pra indicar, então vamos indicar blogs de qualidade. Estes vão recomendadíssimos.

Eu vos apresento o selo:

E os 10 indicados da categoria são ( em ordem alfabética pra não ter birra):













As regrinhas são as seguintes:

1 - Exibir a imagem do selo no blog.
2 - Exibir o link do blog que você recebeu a indicação.
3 - Escolher 10 blogs para dar indicação e avisá-los.

Parabéns aos indicados e continuem nos fazendo pensar, sorrir, refletir, emocionar, ...


Prontinho, falei.
;) 

OLá pessoal, 
Essa mensagem eu recebi por mail( não indicava o autor, pra variar..) e achei muito legal e gostaria muito de compartilhar com vocês. Acho relevante refletir sobre isso. Fiquem a vontade...
__ 
Só R$25,00
Um homem chegou em casa tarde do trabalho, cansado e irritado encontrou o seu filho de 5 anos esperando por  ele na porta . 

- "Pai, posso fazer-lhe uma pergunta?"
 
- "O que é?" - respondeu o homem. 

- "Pai, quanto você ganha em uma hora?"
 
- "Isso não é da sua conta. Porque você esta perguntando uma coisa dessas?", o homem disse agressivo.

- "Eu só quero saber . Por favor me diga, quanto você ganha em uma hora?"
 
- "Se você quer saber, eu ganho R$ 50 por hora."
- "Ah..." o menino respondeu, com sua cabeça para baixo.
 
- "Pai, pode me emprestar R$ 25,00?"
O pai estava furioso, "Essa é a única razão pela qual você me perguntou isso? Pensa que é assim que você pode conseguir algum dinheiro para comprar um brinquedo ou algum outro disparate? Vá direto para o seu quarto e vá para a cama. Pense sobre o quanto você está sendo egoísta", "Eu não trabalho duramente todos os dias para tais infantilidades."
 
O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta.
 
O homem sentou e começou a ficar ainda mais nervoso sobre as questões do menino.
 
- Como ele ousa fazer essas perguntas só para ganhar algum dinheiro?
 
Após cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar.
Talvez houvesse algo que ele realmente precisava comprar com esses R$ 25,00 e ele realmente não pedia dinheiro com muita freqüência. O homem foi para a porta do quarto do menino e abriu a porta.
 
- "Você está dormindo, meu filho?", Ele perguntou.
- "Não pai, estou acordado", respondeu o garoto.
- "Eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você a pouco", afirmou o homem. "Tive um longo dia e acabei descarregando em você. Aqui estão os R$ 25 que você me pediu."

O menino se levantou sorrindo. "Oh, obrigado pai!" gritou. Então, chegando em seu travesseiro ele puxou alguns trocados amassados.
 
O homem viu que o menino já tinha algum dinheiro, e começou a se enfurecer novamente.

O menino lentamente contou o seu dinheiro , em seguida olhou para seu pai.
 
- "Por que você quer mais dinheiro se você já tinha?" - Gruniu o pai.
- "Porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho", respondeu o menino.
 
- "Papai, eu tenho R$ 50 agora. Posso comprar uma hora do seu tempo? Por favor, chegue em casa mais cedo amanhã. Eu gostaria de jantar com você."
O pai foi destroçado...
Ele colocou seus braços em torno de seu filho, e pediu o seu perdão.
 
É apenas uma pequena lembrança a todos nós que trabalhamos arduamente na vida.
Não devemos deixar escorregar através dos nossos dedos o tempo sem ter passado algum desse tempo com aqueles que realmente importam para nós, os que estão perto de nossos corações.
Não se esqueça de compartilhar esses R$ 50 no valor do seu tempo com alguém que você ama.
 
Se morrermos amanhã, a empresa para a qual estamos trabalhando, poderá facilmente substituir-nos em uma questão de horas.

Mas a família e amigos que deixamos para trás irão sentir essa perda para o resto de suas vidas

______________________
Ps: dá uma votadinha na enquete.. ;)

Olha mais uma notícia polêmica chegando aí gente!
È verdade, devo confessar que tem uma fofoca quentíssima para espalhar, mas provavelmente vocês já devem ter escutado um murmurinho por aí  a respeito da postagem de hoje. Caso ainda não estejam sabendo, é a minha função jogar o assunto na roda de conversa e incitar o debate, ou seja, leiam , apreciem, concordem ou discordem, espalhem, discutam, se revoltem, faça uma revolução se assim o quiser, o que não pode é ler e deixar o assunto morrer sem amadurecer a ideia, afinal, ouvir as opiniões de outras pessoas é a maneira mais fácil de você sustentar as suas opiniões, além de verificar onde elas são frágeis e com isso ter uma ideia fundamentada de tudo que se passa ao seu redor, até por que sabemos que tudo que é discutido na política afeta, mais cedo ou mais tarde, direta ou indiretamente as nossas vidas. A história é feita de ações e omissões. Na primeira você a faz, na segunda você a assiste. Então eu proponho que ao invés de discutir o ultimo capítulo da novela, você introduza o assunto com sua amiga, vizinha, colega, etc. O que não quer dizer que você o faça depois se assim ainda o quiser.
Então, vamos deixar de suspense e partir para os finalmente.
 A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o projeto de emenda à lei  12.004/09 prevê a presunção de paternidade diante da recusa, do suposto pai e estende aos familiares a realização do exame caso o suposto pai se recuse ou não possa ser encontrado para fazê-lo,  e no  caso da recusa do primeiro ou ocasionalmente do segundo  será presumida a paternidade. Agora, a matéria será apreciada em plenário, mas ainda não foi escolhida uma data para a deliberação.
 O  centro do grande impasse que está gerando a polêmica  entre os interesses dos “ não reconhecidos” e  a recusa do suposto pai a fazer o exame de dna é, na verdade, o embate entre dois princípios: O   princípio da garantia da paternidade responsável, corolário do princípio da dignidade da pessoa humana, e  o direito à intimidade e intangibilidade do corpo humano além de não ser adequado obrigar alguém a produzir provas contra si mesmo. Apesar da recusa ser direito do acusado, baseado na não obrigação de produzir provas contra si mesmo, este direito lhe direciona à uma culpabilidade presumida, cabendo a ele, apenas, produzir provas em contrário, ou seja, realizando o exame e provando não ser ele o pai, o que não me parece justo, já que está de alguma maneira impedindo-o de exercer um direito. Por outro lado, não me parece justo que uma pessoa deixe de ser reconhecida, direito que também tem, baseado no principio da garantia da paternidade responsável, além de uma série de consequências advindas deste reconhecimento ( heranças, responsabilidades, etc). No caso de solicitação ao mesmo a comparecer para realizar exame de DNA , não vejo o por que da recusa, exceto pelo seu direito de não fazê-lo, já  que a certeza de não paternidade deveria causar-lhe alívio, afinal, por que se negar se tem-se certeza do resultado negativo? No caso de morte poderá exumar-se o corpo, mas em caso de desconhecimento do paradeiro, o que fazer? É razoável que se introduza a família nesta questão? E este é o ponto, creio eu, mais polêmico da situação jurídica. É claro que os familiares não podem ser obrigados a realizar o exame,  tendo em vista que nem mesmo o acusado o é, mas como fica o interesse do “ não reconhecido”? Diante da recusa dos familiares, ele não disponibilizará de meios eficazes para provar a  paternidade, o que não significa que ela não exista. Afinal, sabemos que um razoável número de pessoas são frutos de relações sem vínculos afetivos e de encontros únicos ou de relações ocultas. O que fazer então nestes casos?
Em se tratando da presunção diante recusa dos familiares, alguns defendem o caráter personalissimo da “obrigação” não admitindo a transferência dela para pais, irmãos, filhos, etc. Mas aí eu me pergunto: “ Não é obrigação de todos servir ao principio da dignidade humana, já que este é o principio que rege toda a nossa Constituição?”   Mas por outro lado, não acho razoável presumir paternidade diante da recusa familiar em colaborar  com o processo de investigação ao mesmo tempo que percebo que essa não colaboração inviabiliza a comprovação e assim ceifa  direito de terceiros que adviriam da comprovação, o que também não é justo nem constitucional.  Como não há hierarquia entre os princípios e os direitos, eu realmente não sei exatamente o que defender, já que sinto que ao defender qualquer uma das teses, vou de encontro ao direito e a justiça. E você? O que você acha sobre isso ? Agora é sua vez de meter o bedelho e colaborar com a fundamentação ou com a extinção, ou não , de dúvidas suas e alheias... Coloque a boca no trombone e faça barulho.

Pronto, falei. Agora é a sua vez.

Olá "pessoar", 
A postagem atrasou essa semana por causa do meu niver na segunda... ( é eu também sou filha de Deus e blogueira também faz aniversário viu? rsrs)Então, como de costume cá estou eu postando uma coisa relax, pra vc não esquentar a sua cabeça, pelo contrário a postagem de hoje tem tudo a ver com cabeça fresca.. Não precisa entender uma só palavra pra vocês poderem observar a mais sublime diferença entre homens e mulheres. Eu vi essa propaganda e achei muito legal, e como tudo que eu acho legal, eu gosto de compartilhar com meus amigos leitores. Então larguem de preguiça e assistam de verdade, afinal só tem 32 segundos!!!! Degustem e divirtam-se
Ps: procurando cultura útil? fique a vontade para explorar esse humilde blog.. =)





Olá companheiros de plantão,
Viram a cara de surpresa  da Dorothy no inicio do post né? Pois é.. estamos de volta ao nosso museu de grandes novidades, agora parte II.
Lembram-se que eu havia prometido uma postagem mais informativa a respeito do assunto? Então, cá estou eu. Vamos começar com alguns esclarecimentos: Para quem está aqui pela primeira vez, ou os que não leram a postagem anterior( pode clicar em cima quem quiser conferir), eu farei um breve resumo: está tramitando no congresso um projeto de lei complementar que tem por objetivo tornar condenados pela justiça inelegíveis por um tempo determinado.  Eu havia entrando em contato com o redator da "nova versão" da lei, pois a mesma já havia sido sugerida em 1990, e ele muito educadamente me respondeu, além de ter me enviado o anexo do projeto. E é esse o tema do nosso post de hoje.
O projeto de lei complementar nº 518, de 2009, de autoria do dep. Antonio Biscaia e outros, e de redação do dep. Indio da Costa, se aprovada ampliará as hipóteses de ineligibilidade, alterando a lei complementar nº 64, de 18 de maio de 1990, que estabelece, de acordo com o art. 14, parágrafo 9º, da CF, casos de ineligibilidade, prazo de cessação e determinará outras providências. Já havia falado sobre essa parte introdutória, então, nesta postagem me concentrarei a falar exclusivamente do corpo de texto da referida lei. Serei o mais clara possivel a fim de que não se transforme em uma postagem cansativa de se ler.

Prevê a lei que:
-Serão tornado inelegíveis, por tempo determinado,  "os que tenham contra sua pessoa representação julgada procedente pela Justiça Eleitoral, em decisão transitada em julgado (  transitada em julgado = não cabe mais recurso) ou proferida por órgão colegiado, em processo de apuração de abuso do poder econômico ou político, para a eleição na qual concorrem ou tenham sido diplomados, bem como para as que se realizarem nos oito anos seguintes; ( A questão do tramitado em julgado difere da lei de 1990, que abrangia os condenados em primeira instancia. para excluir a inconstitucionalidade do último que feria o principio da presunção da inocência e a ampla defesa do acusado).
- Os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de oito anos após o cumprimento da pena, pelos crimes:

1. contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público;
2. contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência;
3. contra o meio ambiente e a saúde pública;
4. eleitorais, para os quais a lei comine pena privativa de liberdade;
5. de abuso de autoridade;
6. de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores;
7. de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos;
8. de redução à condição análoga à de escravo;
9. contra a vida e a dignidade sexual; e
10. praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando.

-Os que forem declarados indignos do oficialato, ou com ele incompatíveis, pelo prazo de oito anos; ( Sinceramente, eu achei essa parte do texto pouco clara. O que seria exatamente indigno? Quem será incubido de determinar essa dignidade ou não? Essa parte, na minha opinião, deixa espaço para muitas arbitrariedades, mas vamos dar contituidade)
- Os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente,
-Os detentores de cargo na administração pública direta, indireta ou fundacional, que beneficiarem a si ou a terceiros, pelo abuso do poder econômico ou político, condenados em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado,
- Os que tenham sido condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado da Justiça Eleitoral, por corrupção eleitoral, captação ilícita de sufrágio, doação, captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha ou por conduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais,
-O Presidente da República, o Governador de Estado e do Distrito Federal, o Prefeito, os membros do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas, da Câmara Legislativa, das Câmaras Municipais, que renunciarem a seus mandatos desde o oferecimento de representação ou petição capaz de autorizar a abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição Federal, da Constituição Estadual, da Lei Orgânica do Distrito Federal ou da Lei Orgânica do Município. ( Já estava na hora de acabar com a história desse povo de se esconder atrás da renuncia para evitarem  investigação e perda de  mandato não é mesmo?)
- Os que forem condenados à suspensão dos direitos políticos, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, por ato de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito, desde a condenação ou do trânsito em julgado;
- Os que tenham sido impedidos de exercer profissão por decisão de órgão profissional competente, pelo prazo de oito anos, salvo se o ato houver sido anulado ou suspenso pelo Poder Judiciário;
-  os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, em razão de terem desfeito ou simulado desfazer vínculo conjugal ou de união estável para evitar caracterização de inelegibilidade, pelo prazo de oito anos após a decisão que reconhecer a fraude;
- Os que tenham sido demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo

Esta é a parte central do projeto. Quem quiser lê-lo na integra clique aqui
Como eu havia dito , essa lei está sendo encarada como de iniciativa popular. Se você acha que essa lei tem legitimidade e concorda com sua aprovação,  pressione o governo votando aqui
Saiba quem votou o regime de urgência clicando aqui :
Pare de reclamar e faça sua parte. Estão sendo feitas manifestações, passeatas para pressionar a aprovação da lei. Estarei dando informações no twitter ( que vc pode conferir aí do lado) quem quiser participar é só ficar antenado. 

Ps: estarei adicionando comentarios ao longo da semana nas alíneas expostas aqui. Quem quiser conferir já sabe, é só dá um "ô de casa"..^.^

Pronto, Falei.

Pesquisar este blog