Páginas

Ontem (30/08/2009) Eu e alguns amigos fomos prestigiar a parada gay da minha cidade. Tudo foi muito divertido até que então uma parte do grupo resolveu não esperar a carona com a qual tínhamos ido e resolveu voltar para casa de ônibus. Então fomos nós quatro: eu, uma amiga e meu irmão e um amigo para o tal ponto de ônibus. Quando menos se espera, chegou um grupo de pivetes, de idades variadas entre 8 e 20 anos. Chegaram abordando as pessoas que estavam esperando o ônibus e pegando tudo que estava fácil de levar: Celulares que estavam em uso por seus légitimos donos, carteiras e a pochete ( uma bolsa que se coloca ao redor da cintura) do meu irmão que estava com as coisas dele( carteira, documentos, celular) e as coisas de Tay ( carteira com todos os documentos dentro, dinheiro, celular...). Estavam armados com facas de açougueiro, daquelas bem grandes. Meu anjo da guarda é tão forte que eles passaram por mim como se eu não estivesse ali. Quando percebi o que estava acontecendo corri e entrei no primeiro ônibus que estava parado no local. Não me pergunte para onde ele ia que eu não sei responder. Quando assustada olhei pra trás notei que a minha amiga tinha entrado no ônibus, mas não os meninos. Fiquei desesperada. Quando olhei pela janela eles estavam lá fora. Coloquei a cabeça na janela e pedi que pelo amor de Deus eles entrassem que a gente descia lá na frente num lugar mais seguro. Ainda pensei esperançosa que eles tinham corrido, mas infelizmente não tiveram tempo e depois soube que o pivete tinha colocado a faca no meu irmão. Minha amiga que estava com ele chorava ininterruptamente. Eu só conseguia lhe pedi calma. Depois que os meninos entram no ônibus descemos mais a frente e nos encaminhamos para um posto da PM que ficava nas proximidade. Chegando lá o PM disse que não poderia sair do posto e interfonou para uma viatura. Além de não fazer nada de concreto ainda veio nos reclamar de estarmos no evento. Sugeriu ele :" por que vocês não foram pro shopping? Esse negócio dos gays aqui sempre é assim. Fim de festa só sobra arrastão." Como se o problema estivesse nas escolhas e não na falta de segurança. Quer dizer que a população precisa limitar o seu direito de ir e vir por que a polícia incompetente deixa a cidade ser tomada pelos ladrões e vagabundos.?! A segurança deve ser melhorada e não o nosso direito de escolha restringido! O engraçado é que nesta semana eu estava no banho quando de repente me veio a cabeça o seguinte pensamento: O que faz uma pessoa se achar no direito de abordar e ameaçar outra e levar o que não lhe pertence? Sinceramente para mim não faz lógica nenhuma. É completamente fora de uma linha sensata de pensamento. Isso quando não acontece coisa pior, porque do jeito que as coisas andam você precisa sair sempre com algo satisfatoriamente furtável para no caso de ser assaltado o ladrão cometer o delito e sair satisfeito! Caso contrário podendo pagar com a própria vida a frustração do elemento. Agora além dele se achar no direito de assaltar, você tem o dever de oferecer algo ao ladrão! E ante tudo isso eu me pergunto: Como fica a sociedade brasileira? Como fica as pessoas que só querem viver em paz? Será que teremos que viver este estado de medo durante toda vida, com esse sentimento de insegurança atormentando-nos a cada segundo? Meu irmão me disse uma triste verdade quando estávamos saindo do posto. Ele me disse: " Tu mora no Brasil Thathí! ". E infelizmente essa é uma realidade assustadora e triste. Um lugar que tem tudo para ser um lugar lindo de se viver é afogado pelas desiguadades sociais, pelo descaso, e pelo medo de sair de casa. Por mais que eu tente entender eu ainda não consigo. Não dá pra conceber a idéia de que alguém pode simplesmente levar algo que não é seu mediante constragimento e ameaça. Eu sempre sai sem documentos de casa. É um péssimo hábito que tenho, mas ontem foi uma das melhores coisas que eu fiz. Agora eu sugeri e vou fazer o mesmo: xerocar e autenticar todos os documentos para colocar no bolso antes de sair , porque sair de bolsa é um costume que já aboli a muito tempo justamente pra não chamar atenção..., deixar os originais em casa.. Nunca se sabe o quão pior pode ficar uma situação de assalto. A posse de seus documentos por alguém mal intencionado, nessa fiscalização ordinária que temos pode trazer grandes dores de cabeça a pessoa que já passou pelo trauma de um assalto. Fica aqui o meu reclame, o meu pedido, a minha solicitação para que o dinheiro de tantos impostos sejam empregados de maneira séria e eficiente. Talvez quando os nossos " representantes" de Brasília e demais localidades pararem de usar o dinheiro público em proveito próprio, parar de viajar e consumir o dinheiro da população( deixar de dar o mal exemplo aos pivetes ensinando-os como de apossar do que não lhes pertence) esse dinheiro seja realmente investido para proporcionar o bem estar social. Quantas pessoas vão precisar passar pelo trauma de uma violência ou mesmo morrer para que se tomem providências eficazes a respeito da criminalidade do Brasil?

0 comentários:

Postar um comentário

Um comentário diz muito sobre você.
Comente com inteligência.

(retribuo comentários bem feitos- afinal,se vc escreve bem aqui, escreve bem lá. ;)

Pesquisar este blog