Páginas


Olá meu amigos!
Tah, eu sei, eu andei sumida... vocês nem sabem a agonia que tava minha vida até antes do carnaval, mas ao invés de ficar aqui me explicando para vocês eu vou adiantar o post e vou começar logo dizendo que esse post é um grito de indignação! 
Nessas férias eu não curti só o carnaval não meus caros... Eu travei duas árduas batalhas que serão discutidas, uma agora e outra em postagem posterior. Ambas, sem falsa modéstia, bem polêmicas. Tah, vocês vão me dizer : " Ah me conta uma novidade, tu é a própria senhorita encrenca!", mas eu juro pra vocês que não eu fui quem foi atrás dessas discussões, elas que vieram atrás de mim! Juro! E pra falar a verdade eu adOOroo!! -hahahaha.
 Então, vamos deixar de delongas e partir logo pro núcleo da questão. Mas antes eu vou esclarecer, para fim didático-rsrs- qual foi o caso que me indignou desta vez. Numa conversa informal, eu, minhas duas primas, e minha tia foi introduzido o assunto digamos "penitenciário" e como funciona a justiça no Brasil. Bem, pra encurtar a conversa, minha tia seguida da minha prima começaram a defender a pena de morte no Brasil. É claro que surgiu uma, ou melhor, duas vozes insurreicionárias: - se é que existe essa palavra- eu e minha outra prima. Aí menino começou, como diz um programa sensacionalista aqui , mas que agora  não vem ao caso, o bafafá! Eitah, vocês podem imaginar o pano pra manga que esse assunto deu né?! Duas cabeças duras versus duas idealistas. E uma diz de lá que isso é um absurdo, que não funcionaria no Brasil que no Brasil só ia morrer pobre, outra de lá dizendo que só assim seria dado um ponto final na criminalidade e blá, blá, blá... E então, depois de observar o discurso de minha tia e minha prima favoráveis a pena capital, eu resolvi abordar o assunto aqui no meu blog. Não poderia ser um assunto mais apropriado para inflamar as opiniões, e reacender esse blog que tava dado como finado já.. /(^.^)\.
Pensando a respeito do que pode levar uma pessoa a demonizar tanto outra, da sua mesma espécie- aposto que muitos irão protestar alegando que não são iguais "àqueles monstros" -, a ponto de querer findar com a vida deste, me levou a outra reflexão sobre o que as pessoas esperam da justiça e do seu sistema: vingança ou reabilitação?! Mas vamos deixar essa discussão para um momento mais oportuno, provavelmente na " quase conclusão" desse texto.
Vamos começar analisando a questão da demonização e dos discursos viciados propagados pelos que defendem a pena capital. Inicialmente eles se utilizam de uma homogeinização dos individuos, enquadrando-os numa única categoria que geralmente são assassinos, estupradores e outros individuos relacionados a crimes hediondos, para facilitar a repulsa social e colocar os cidadãos que hoje são prisioneiros em uma categoria facilmente segregada da "sociedade de bem" e assim  poder dar a eles um tratamento, sem culpa, diferente do que é dado a qualquer ser humano. Fazendo isso eles maqueiam a verdade que é a grande heterogeneidade de pessoas presas no Brasil: desde  pessoas que subtraíram uma lata de leite para alimentar os filhos até individuos que cometeram crimes com alto requinte de crueldade, isso sem falar nos tantos inocentes ou pessoas que já cumpriram sua pena e que ainda habitam as cadeias do país. Afinal, ninguém vai concordar em assassinar uma mãe que em momento de desespero surupiou uma lata de leite para alimentar um filho; e a argumentação tem como meta persuardir certo? 
Iniciei com a demonização por que na maioria dos discursos que eu presenciei, de variadas formas, foi o que mais se sobressaiu, ou seja, preso não é " gente como a gente".
Atraído por essa argumentação anterior surge, por tabela, os direitos humanos como privilégios de bandidos. Os direitos humanos tiveram grande força no Brasil, principalmente no período do regime militar, quando as pessoas defendiam os direitos básicos para os presos políticos. Com a democratização as pessoas que defendiam os direitos dos presos políticos voltaram sua atenção à defesa dos direitos dos presos comuns. Inserida na realidade democrática os direitos humanos passaram a ser vistos como privilégios que não deveriam ser concedidos a pessoas " que não os merecem" enquanto a população honesta padece da inconsolidação de seus direitos sociais e individuais. Eles não brigam para conquistar os seus direitos, mas para evitar que "desmerecedores" os tenham. Resumindo:  a ideia de garantir direitos humanos a "criminosos" revelou-se inaceitável para a população. O que talvez seja justificado pela simbologia que envolvem os criminosos que dá aos direitos humanos um ar de injustiça, por não se ver vingado o crime.
Outro discurso componente desta defesa é o "desperdício de recursos públicos" em prol da marginalidade ao invés de investí-los na comunidade. Bem, minha tia ainda tem uma opinião diferente, ela acredita que se tem muita gente que deve ser presa, então que se "construam mais presidios!" Essa frase entrou na sua defesa quando ela contava os casos de pessoas que cometeram crimes e que andam tranquilamente pelas ruas na iminência de cometer outros delitos e eu disse que muitos casos são deixados de lado pela polícia pela falta de locais para prender todos que, segundo uma aplicação justa da lei, cometeram uma infração penal. Ela é o tipo que quer resolver tudo na remediação e não na prevenção. Eu não estou aqui dizendo que está certo não prender pessoas que cometeram delitos, principalmente os graves, por falta de local adequado para privá-los da liberdade, mas que esse é o problema de não está muitas pessoas presas, o que causa o descaso policial. A situação lamentável do sistema penitenciário brasileiro todos conhecem, é tão vasto tal assunto que é necessário algumas dezenas de posts para tratá-lo com a atenção e complexidade que ele merece e exige. Mas vamos nos ater ao assunto já iniciado. Bem, sobre a questão financeira, todos sabem o quanto custa para o Estado manter alguém preso e que esse sistema não reabilita ninguém. Ele se baseia apenas no medo da restrição da liberdade, o que, sinceramente, não amedronta criminoso nenhum. Acredito que  muitos deles, para não dizer todos, vêem a prisão como coisa certa e acontecimento previsto como fase natural das suas vidas. Ou seja, o sistema não coibe o crime. E pensando sobre isso eu me perguntei: Por que as cadeias não têm um programa de profissionalização dos presos nos quais eles trabalham dentro da prisão para manter a própria prisão e além disso, ganham, quando saem de lá  juntamente com uma profissão outra perspectiva de vida? Pelo menos não poderiam mais dar a justificativa de que  não sabem fazer mais nada da vida e que não tiveram oportunidade de caminhar por outros trilhos que não da criminalidade. Isso para os presos de camadas populares, a esmagadora maioria. Para os criminosos de classe média e alta, se é que podemos listá-los, pois no Brasil é dificil você ver algum deles passar algum tempo razoável na prisão, eles poderiam aprender  ter alguma dignidade e valorar mais as coisas. Mas depois, pensando ainda sobre esse projeto, eu pensei em um contraponto: do jeito que no Brasil as coisas tendem a ser desvirtuadas e usadas como instrumento de dominação, submissão e exploração dos mais pobres era bem capaz de transformar esses projetos em fonte de lucro e os presos em escravos, e assim a detenção ser estimulada por motivos puramente capitalistas( o que se enquadraria em apenas uma transferência de motivo). Se hoje, dando gastos, eles preferem se livrar dos problemas sociais enclausurando as pessoas que eles não dão conta de socializar, imagine se isso vier a ser fonte de riqueza... E sinceramente, essa reflexão me fez indagar " será que um dia alguém vai realmente ter a intenção de fazer alguma coisa pelo bem social ao invés de sempre ser guiado por esse pensamento capitalista e individualizante? Me entristeci ao pensar como os projetos podem ser manipulados de maneira tal que deixe de servir a comunidade para servir interesses individuais e isso feriu gravemente a minha esperança.
Questionamentos eram seguidos por outros e estes por aqueles até que eu parei e pensei: Afinal, qual é o objetivo final e verdadeiro das prisões? 1) Impor medo; 2) Se livrar dos agentes indesejados socialmente apartando-os  do convivio social; 3) Impedir que voltem a cometer ações indesejadas pela comunidade;4) nenhuma das alternativas anteriores?
O primeiro, como eu já havia assinalado, não funciona com as pessoas suscetíveis ao ingresso na criminalidade, e com a descrença na eficiência da justiça e na punição até os não tão suscetíveis assim se vêem tranquilizados pela ineficácia da justiça a cometer delitos. O segundo me parece bem provável, e a defesa da pena de morte só faz corroborar essa tese. O que é muito mais cômodo. Investir em educação, lazer e cultura não é tão bom "negócio" como simplesmente exterminar os produtos dessa ausência. O terceiro ponto, se é o que se almeja, já era para ter se verificado sua ineficiência a muito tempo, pois seu fracasso pode ser notado na simples análise dos dados de reincidência, logo não acredito que eles realmente queiram fazer a diferença usando esse método do jeito que se é verificado no Brasil, pois estariam assinando, com sua insistência, seu atestado de incompetência. Quanto a quarta eu deixo em aberto para ouvir as diversas opiniões que possam existir a esse respeito.
O que me parece o sistema carcerário no Brasil, assim como a defesa da pena de morte, não passa de um "instrumento vingador do sentimento do povo".discurso populista e de tranferência da responsabilidade para o povo- .Não querem reabilitar ninguém, querem apenas que eles paguem, que sofram abusos, humilhações, privações, violências etc. para que todos tenham seu sentimento de revolta supridos. Ninguém quer pensar no problema, na sua origem, nas suas causas , mas que todos os presos, indiscriminadamente, merecem viver num verdadeiro inferno por que não são pessoas dignas de cuidado e não merecem respeito.  Eu li uma parte de uma entrevista que eu achei muito interessante e que condensa a minha opinião pessoal  a esse respeito: " Ele foi condenado a perder a sua liberdade, mas só isso, e de acordo com os limites da sentença. Ele não foi condenado às humilhações e outros tipos de violência que ocorrem dentro da prisão " (José Carlos Dias, sercretário da justiça de São Paulo durante o governo de Franco Montoro[1983-1987], em 10/09/90).
Minha tia, ainda pra completar a minha revolta, contraargumentou quando eu citei as pessoas mal julgadas, julgadas viciada e injustamente no Brasil que estão cumprindo penas nas cadeias brasileiras, inocentes até, que seriam submetidas a esse tipo de lei de morte dizendo que por ela tudo bem, era por um "bem maior". Não suportei e tive que dizer: "A sra. fala assim por que não é parente nem conhecida de ninguém que foi posto na cadeia inocentemente, senão, muito provavelmente teria uma posição diferente"e blá blá blá...
Minha tia aqui, é a representação de tantos outros brasileiros que pouco sabem dos sistemas carcerários e que influenciados, ou não, pela divulgação demonizada dos " criminosos" defendem a morte de uma pessoa apenas para satisfazer seu sentimento de vingança, além de reproduzir o método mais conveniente de se livrar da população que eles não conseguem dar condições dignas de vida. 
Pra mim, é realmente, uma posição contraditória defender a pena de morte. Sempre achei estranho, quando pensava no sistema estadunidense, se cometer o crime que se está punindo. Mas isso entra no monopólio da força do Estado o que é assunto para um outro post. ;)

para quem se interessa pelo assunto eu sugiro a leitura de: Cidade de Muros (Teresa Pires do Rio Caldeira) e assistir o documentário Dançando com o Diabo que trata das duas visões sobre o crime, a dos traficantes da favela da coréia no RJ e dos policiais. Eu, pessoalmente, achei muito interessante observar os dois lados da história, pois sempre nos é apresentado apenas um deles. É só clicar no nome que tem o link para o donwload.




- feliz de ter voltadoo, eu vou tentar não demorar tanto pra postar alguma coisa =)


pronto, depois de tanto tempo em silêncio, falei ;).

37 comentários:

Tomaz Coelho disse...

Até gostaria de poder citar aquela frase que diz, é violento um rio que tudo arrasta, mas não são violentas as margens que o oprimem !?!?!?!? Ainda não vivi a situação em que discordo de vc Thathi... e isso é perigoso srsrsrsr... verdade, concordo com seu ponto de vista mais uma vez, porem existem mais coisas sobre este tema que nossos olhos podem ver.
O interessante é que alguém que aponta tanto um ou outro ato como errado não reconhece a semelhança destes atos com os próprios atos, como vou ser a favor da pena de morte em casos de assassinato e não me considerar um assassino também? Um erro não pode justificar outro... quero poder ler mais dos frutos dessa mente... ainda poderemos mudar o mundo :D !!!!!!!

Érico Cinemeiro disse...

Em Manaus são exatamente 00:48! ufa até q enfim acabei de ler seu texto e olha q eu comecei ler era umas 21:30, fui jantar, vi o BBB, tomei banho e mesmo assim, só agora depois de tanto tempo cheguei ao fim, demorou tanto q me eskeci até do começo hehe...
Olá kerida Tati, agora sem brincadeiras gostaria de lhe dar os parabéns pelo seu post abordando um tema tão polêmico, vc demorou mais veio com tudo arrasando né? olha com relação a esse tema gostaria de dizer q é um dos temas q prefiro não me manifestar pois é muito polêmico e acaba gerando só mais desentendimento. Sou contra assassinato mais as vezes tem cada crime bárbaro q me faz pensar q certas pessoas não merecem ser chamadas de humanos. Parabéns mais uma vez só não demore mt a postar de novo ok

Pobre esponja disse...

Sou contra. E pelo que vejo, nos USA, muita gente é contra que se mate quem a fez perder alguém querido. É óbvio que atitudes assim diminuem a criminalidade, mas a inteligência e o amor também cumprem com essa função.
Se tratar-se de um monstro, ou de um FDP, que ele fique vivo até o último dia: para certas pessoas ter de se olhar no espelho todo dia é um castigo deveras duro.

bj
Pobre Esponja

Lucas Dinizz disse...

Eu sou a favor, mas deveriam fazer isso apenas com quem fizesse crimes brutais como matar pessoas ...

Bruno disse...

O que sou contra é a Sentenças com 6, 10, 12, 20 anos de prisão em regime fechado, pois há a progressão de regime, aí o cara fica pouco e o grande prejudicado é a vítima/sociedade.

Bruno disse...

Belo texto!
Não sou a favor da pena de morte e também acho o sistema penitenciário um poço de vingança, para saciar a revolta do povo e servir de manobra política, para iludir esse mesmo povo e continuar mantendo as coisas como são.
Claro é, que a pena de morte não é oficial, mas o BOPE o que é? Eles entram para matar. A PM e outras também, assim como o próprio tráfico mata seus componentes. E ainda existem pessoas que acham que a pena de morte vai deixar alguém com medo de morrer... Lógico que não. Parece banal, ma violência gera violência. Seja por tiros, seja por ausência do estado a suprir a necessidade de muitos, especialmente das classes menos abastadas. Essa baboseira de pena de morte, redução da maioridade penal, não adiantam. Existe um documentário muito bom sobre isso: "Notícias de uma guerra particular", sobre o RJ.
Vamos pensar criticamente e buscar alternativas, porque como a autora falou, a prisão não recupera ninguém.
Muito bom o texto. No meu blog tem um texto irônico sobre esses supostos "homens de bem", que se acham os justos.
Voltarei...

www.costabbade.blogspot.com

Miltextos disse...

Orra meu, que papo cabeça... Preciso ler mais você e menos eu. Aliás, quero fazer um comentárui quase íntimo se não fosse em rede: impressionante como você captou a alma daquele poema. Amiga, tume conhece melhor do que eu, rs. Sabe que aquele era o terceiro verso... mas que resolvi esconder no meio do texto para que ninguém percebesse? Não imaginava que o seu coração me desvendaria assim... Beijo em rubor.

Tatiana disse...

O grande problema Lucas é que, infelizmente, não se pode confiar nos vereditos. Não é querendo ser puramente sociológica, mas não acho justo punir o produto. A reforma tem que começar não pelo extermínio, mas pelo boicote às parcelas que resultam no produto e reinvindicação de melhorias de vida às pessoas mais expostas ao crime. Não pense que as leis são feitas para todos, assim como a lei seca direciona aos usuários de alcool e não aos abstêmios as leis penais direciona os mais pobres para impedí-los de cometer ações às quais estão facilmente expostos.
Concordo com você no ponto da redução de pena.. Não acredito que exerça sentimento de impunidade apenas em nós, mas também naqueles que deveriam cumprí-la.
Talvez se a reabilitação fosse garantida poderia se pensar numa redução de pena, mas não nas condições atuais.

Gutt e Ariane disse...

Acho que para determinados crimes, a aplicabilidade seria muito viável. Tráfico de drogas por exemplo. E vamos pegar o exemplo da China nesse tocante. Não tem discussão sobre isso lá. Se for pego traficando, a cadeia é só temporária, enquanto a pena de morte estará sendo agendada.
Aqui acho que algo sim resolveria muita coisa. Ninguém entra nessa vida forçado, sabe muito bem das consequencias... garanto que com uma lei vigente nesse sentido, o fulano pensaria duas vezes antes de fazer algo desse gênero! ¬¬

Garoto Mal Intencionado. disse...

Hoje eu estava com meu pai vendo um telejornal. Eis que me aparece uma matéria sobre a prisão de vários usuários e traficantes de drogas. O que meu pai falou? " Se eu fosse o Lula, lutava para que a Pena de Morte fosse legal no país. Bandido tem que morrer. Deus quer assim". Confesso que por mais que eu conheça meu pai fiquei chocado e logo mostrei minha posição contra. Estamos tratando de seres humanos, semelhantes nossos. É cruel matar, praticar crimes hediondos, mas a pena de morte é a mesma coisa, a mesma moeda só que do lado oposto. Conversando com meu pai eu disse que o problema não é o bandido, mas o motivo dele ser bandido. O problema não esta em quem rouba, mas sim na razão dele ter roubado. Eu trouxe à nossa conversa o tema prostituição e me baseei no filme "Anjos do Sol", onde uma garota é levada à força do Nordeste para o Norte. Ela é estuprada e molestada. Tem que ser prostituta. Ela consegue fugir e vai para um grande centro urbano, não lembro a cidade. Recebe a ajuda de outra cafetina. Pra ela comer ela se prostitui. Ela decide voltar ao Nordeste, mas como vai chegar la? Transando com caminhoneiros. Muitas garotas se prostituem porque realmente NÃO tem oportunidades. O que fazer? Chingar? Repudiar? Podemos compará-las a quem rouba pra comer. Quem rouba pra comer deve morrer? Quem tem o direito de matar quem? A verdade é que as prisões no Brasil são todas desorganizadas. Se a pena de morte vigorasse aqui muitos inocentes seriam mortos. E apenas os pobres. Eu fico revoltado com isso. Chega de escrever. Não consigo parar rs.

Davi Alves disse...

NÃO LI TUDO AMIGA, MAS POSSO DIZER QUE NESTE PAIS DE NINGUEM NOS RESTAM AS MIGALHAS DO CONFORMISMO

VISITA LA ,E VE TU GOSTA , A GENTE PODE TROCAR POSTS ,ABS.

WWW.CONTEMPORANEOEINDISCRETO.BLOGSPOT.COM

kekoblogger.com.br disse...

Seu blog é muito bacana!

Este assunto deveria ser discutido com mais calma, anos e anos não decidiriam se isso pudesse ocorrer aqui no Brasil, com o tanto de injustiça que tem em nosso país!

Luiz Cirino disse...

Cada um faz o seu, cada um pensa o que quer...

Leandro Merlllin disse...

Devorei de uma vez só teu texto, incluindo as notas sobre seu cotidiano e tal. Mas mesmo lendo até o final, me mantenho firme na premissa de que uma pena máxima como essa no nosso território só seria um transtorno à mais, onde coisas simples transformam-se em verdadeiras dores de cabeça. O que dizer então de uma medida punitiva que extermina a vida de alguém.
Ela só seria de grande valia se houvesse compromisso e respeito em todos os setores da Justiça, algo que está longe de ocorrer constantemente no Brasil.

Parabéns, mesmo, pela postagem e tocar nesse assunto tão intenso de se falar.
Abraços.

. Yuri Barichivich disse...

Combinamos nossas postagens não foi? Não é possível! Claro que cada um fez de uma forma, mas passamos a mesma mensagem. Muito bom o post ;D

Verball
Siga-nos no @BlogVerbALL

Macaco Pipi disse...

BOM...MATAR PRA QUE?
COLOCA TODOS PRA TRABALHAR DE GRAÇA PRO ESTADO, BEM MELHOR :)

Macaco Pipi disse...

E CLARO, SEM ESQUECER QUE O PROBLEMA TODO TÁ BEM ANTES DISSO, PENA DE MORTE, PENA DA BANANA NO OUVIDO, DO CU DE ALECRIM, DA BORBOLETA VIRGEM, A PENA QUE FOR É DISCUTIR O QUE FAZER COM O LIXO QUE NÓS MESMOS PRODUZIMOS...REMEDIAÇÃO.

O PROBLEMA É A ESTRUTURAÇÃO RUIM DO PAÍS QUE FORMA BANDIDOS DEMAIS.

FATO ISSO.

Jonas Alves disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Thamyzinha Iwasaki disse...

interessantee!!!

Matheus disse...

Eu tive esses assunto nas aulas de filosofia. É dificil determinar o que merece ter pena de morte, pois pode ser um engano, quem sabe? Bem, ótimo texto.

Alexandre Terra disse...

esse tema eh bem polemico, mas eu sou a favor

Millena Blogueira disse...

Acho meio complicado, porque serão punidos apenas os ladrões pequenos, os grandes duvido que sejam penalizados.

War Inside My Head disse...

acredito que primeiramente deveria mudar todo sistema. Digo reformular o judiciario e o executivo, não estamos prontos para adotar uma pena onde nosso sistema é completamente falho e inerente!
Sou a favor mas desde que façam mudanças!
Seguindo seu blog
http://yaseryusuf.blogspot.com/

Jonas Alves disse...

No Brasil penas com oesta estão descartadas se o nosso judiciario não resolve nada no papel conseguira resolver penas alternativas com agilidade vamos ter a cadeira do tempo morrer de velhice ne,mais latrocionio( sequestro seguido de morte,matar indefeso,pedofilia e morte) a isso deveria ter pena de morte desde que o nosso sistema judiciario tivesse qualidade para isto


Olá to chateado te convidei pra ser a convidada da semana lá você não me respondeu mais..seu comment foi apagado sem querer..aceita o convite?

www.contemporaneoeindiscreto.blogspot.com

Antonoly disse...

Se no Brasil já ocorrem inúmeras injustiças com o nosso atual sistema penitenciário, você imagina o que poderá acontecer se houver um sistema de pena de morte?

Edu Chaves disse...

É o seguinte: sou contra a pena de morte, mas sou a favor da prisão perpétua! Apenas isso. (ah, e adorei o post) xD
abs

Café disse...

Como Diria o ex-Deputado luis carlos alborghetti "Bandido bom...é bandido morto". Direitos humanos é o caralho...uma vitima dum vagabundo desses, teve os "direitos humanos" levando em conta quando levo um balaço na cara? Não! tem q matar! vagabundo faz merda, dae fica 30 anos, comendo nas nossas custas, jogando bola e enrabando estrupador no chuveiro.

http://cafeholandes.blogspot.com

Renan Leal disse...

olha, sou contra a pena de morte, acho que não é matando que vai diminuir a criminalidade. Acho que o governo deveria investir mais em educação (inclusive familiar) e em penitenciarias que fossem relamente locais de reabilitação, e não de rebeldia fisica e psicológica. Legal seu jeito de abordar assuntos sérios com a linguagem de uma 'menina fútil'... ahaha! bjo gratis

Tatiana disse...

Isso foi um elogio?! hahahha

João Paulo disse...

O tema é mais complexo que isso!

Tatiana disse...

João vc não leu a postagem. Se tivesse lido teria visto isso: "A situação lamentável do sistema penitenciário brasileiro todos conhecem, é tão vasto tal assunto que é necessário algumas dezenas de posts para tratá-lo com a atenção e complexidade que ele merece e exige"
¬¬
Isso é triste! AFF, pelo amor de Deus leiam a postagem. Vocês não vão emburrecer e deixam de passar a vergonha de postar um comentário mediocre e vergonhoso!

Pronto, falei.

chris disse...

Tatiana

li na outra postagem qeu comentara sob direitos humanos e resolvi fazer uma visita aqui... e gostei do que vi e li.

voce comentou de um modo claro e ao mesmo tempo profundo, pois discutiu a questao em topicos e nao de forma simplista como as pessoas costumam comentar...

devemos nos lembrar sempre que o encarcerado,presidiario um dia sairá de novo as ruas... mesmo que tenhamos raiva e desejo de vingança... será que devemos apenas puni-lo? ou sera qeu devemos reeduca-lo para sair novamente um pouco mais humano... pois se criamos um inferno que soa as prisoes e jogamos pessoas la dentro, ao siarem elas terao mais raiva, odio, e usarao o aprendizado da escola do crime contra nos mesmos...

entao espero que essas pessoas qeu defendem punições severissimas nao tenham o azar de encontrar os ex presidiarios nas ruas, pois eles saem de la revoltadissimos...

2- outra questao, nao podemos jogar infratores primarios, iniciantes para conviver com professores do crime. ali dentro eles aderem a facções criminosas e passam a cumprir tarefas designadas pela chefia do crime. por outro lado se estivessem sendo reeducados longe dos perigosos poderiam escapar do crime. alguns depoi sde entrar no sistema penitenciario ficam presos ao crime o resto da vida, devendo favores.

3- o egresso do sistema penitenciario, nao sai nem com dineheiro no bolso e há casos de pessoas que precisam fazer assaltos pra chegar em casa... sãosoltos de madrugada sem um centavo no bolso... e pior nao conseguem emprego depois, ha um estigma, estao mais marcados que caim, ninguem os aceita e eles ficam deprimidos e perdem o gosto pela vida, a esperança em se recuparar... e voltam ao crime.
4- os viciados em droga sao vitimas e nao criminosos, mas nao ha tratamento a eles, sao abandonados pelo estado que so vai se lembrar deles quando cometerem um furto pra comprar drogas ou forem presos no uso da droga, ai vao de novo pra penintenciaria e vivem anos nesse vai e vem, ate que um dia sao soltos e morrem nas maos dos traficantes ou assassinados por comerciantes.
um dia fui chamado pela mae de um viciado para acha-lo nas ruas, ele vagava como um fantasma sem roupa e desesperado, levamos ele pra casa da familia, onde foi lavado e depois... de dias sem emprego e tratamento ( que é caro) voltou as ruas, morreu num acidente de forma tragica, era moço ...

a questao nao é simples, eles nao sao bonzinhos, mas devemos pensar que tratando -os bem, aqueles que querem melhorar podem ter uma chance e nossa sociedade pode ter menos criminosos, pois muitos querem sair dessa vida e ter uma familia, mas nao tem chance...

um abraço e aprabens pelo blog
Ibere
http://ibererestivo.blogspot.com

Vinicius Oliveira disse...

A lei no Brasil protege os bandidos ne? principalmente os politicos, enquanto as leis ficarem dessa forma, o Brasil será assim mesmo, corrupto, inseguro..

http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/ comenta la

Luisguitarg3 disse...

Bom... Eu também não sou a favor da pena de morte, não daria certo mesmo no nosso país, pelo menos na minha opinião!

Belo teexto! Abraação!

Francorebel disse...

Pois é, direitos humanos deveriam ser para todos, né... enfim... adorei o texto, parabéns!!!

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Rapaz.. como isso gera assunto..Na epoca do meu 2° grau foi tanto o "sucesso" que o profssor esticou o debate por mais tempo além do esperado...(o velho tava sorrindo de orelha á orelha..:D)
Na epoca eu até que era a favor.. Cabeça meio louca acreditando que somente medidas radicais levariam este pais de injustiças...(credo como sou emo...¬¬) Hoje confesso que estou meio assim... nem lá muito menos cá...
o fato se deve a meu proprio conhecimento nos dias de hoje, em que o nosso sistema judiciário é muito cheio de brechas, curvas e retas loucas que levam varias pessoas á cadeia por muito ou pouco... Em parte consideravel inocentes ou "nem tão culpados" -acho que isso não existe né?-. A minha pergunta é: Se o nosso sistema judiciario já coloca tantos inocentes enclausurados injustamente e liberta asassinos e corrupitos em minutos, o que acontecewria se houve-se realmente a pena de morte no brasil? Será que o sistema se tornaria "eficiente" ou só se tornaria mais injusto?

Rodrigo Luz disse...

bah...mas este tópico é muito interessante..e um assunto que da como se diz pano pra manga...

"Ninguém quer pensar no problema, na sua origem, nas suas causas"... ai esta o ponto em que sempre me refiro. Prender, matar nunca ira resolver os problemass de violnecia e afins. Mas tambem um sistema que valorize o lado humano dos criminosos de uma nova cahnce etc e tal..tambem não é a solução.Pelo menos não isolada. È necessario infra estrura basica...educação saude cultura..essas coisas.È preciso acertar no ponto onde surge a marginalidade.Porque senão vai se sempre a mesma coisa.Criminosos..crimes..prisão ...morte..criminosos...e por ai vai.

Outro ponto...o que mais me indigna..são os bandidos de colarinho branco...politicos, juizes, grandes fazendeiros, empresarios...esses tem recursos pra se manter fora da prisão..e são os piores de todos..porque se for analisar, da pra notar que direta ou indiretamente são responsaveis por todos..eu disso TODOS os outro tipo de violencia.


parabens pelo blog...hasta la vista.

Postar um comentário

Um comentário diz muito sobre você.
Comente com inteligência.

(retribuo comentários bem feitos- afinal,se vc escreve bem aqui, escreve bem lá. ;)

Pesquisar este blog