Páginas



Olá meus queridos leitores,
Faz um tempinho que eu não dou um descanso a vocês hein? Não publico uma besteirinha pra ajudá-los a não pensar em nossa crítica situação social, mas sinto-lhes informar que também não será hoje. No próximo, prometo.
Então, como vocês notaram esse post foi influenciado pelo último episódio( 25/06/2010) da série "Separação" que passa nas noites de sexta-feira na rede globo que coincidiu com a proximidade do dia internacional de combate contra as drogas, então vamos aproveitar para discutir. Eu não sei se os autores tiveram a intenção de tratar do problema do vício, e se quiseram tratá-lo da maneira que o tratou, mas, se não, foi uma feliz coincidência que eu não deixarei de compartilhar, juntamente com minhas impressões, com vocês. Farei um breve resumo do episódio para localizar a discussão para aqueles que deveriam está fazendo algo mais divertido do que assistir tv numa sexta a noite- que por sorte foi interessante :

a personagem de Debora Block, cansada da vida e do marido, resolve, por conselho de uma amiga, a diretora da escola em que trabalha, adquirir um vicio, que segundo a última  é uma fonte de suportabilidade dos problemas. Ela então resolve beber pinga como meio de suportar as chatices e desilusões da vida. E a história toma um rumo cômico depois disso, típica da série, na qual as personagens se vêem nas situações mais loucas possiveis. Mas a parte que nos interessa é a que o vício é tratado, intencionalmente ou não, como anestésico social, como meio de fuga dos problemas e decepções. A personagem, inicialmente sem vícios, procura como meio de solução o consumo de alcool (no caso, pinga).

 Agora, trazendo a discussão para uma esfera mais ampla, vamos tratar de maneira genérica do assunto acionado pelo episódio da série.
O questionamento que envolve esse post é:

O que leva uma pessoa a buscar o mundo das drogas e a permanecer nele? 

Leiam-se aqui drogas licitas e ilicitas - apesar desta distinção, quem costuma ler esse blog deve concordar comigo, ser meramente de cunho econômico.
Como pode ser notada na síntese, o motivo da busca por esse caminho, protagonizado e representado pela personagem, reflete os motivos catalisadores e  provocadores da decisão de se omitir da realidade através das drogas: exemplificadamente, problemas familiares, de relacionamentos, financeiros, de inserção social, de frustrações de sonhos, de reconhecimento, etc.

Quantas vezes você já não deve ter escutado histórias de pessoas que bebem pra esquecer traições, términos; adolescentes que se drogam pra esquecer problemas com os pais, etc.? Provavelmente muitas. E quantas vezes você já não escutou o discurso de pessoas que se drogam pra curtir uma festa e evitar inibições , e que fazem uso da droga apenas em situações específicas? Talvez tanto quanto, ou até mais, do que os primeiros casos, creio eu. Então, já que percebemos que as drogas agem como meio de escape, como  parte de necessidades- e expressão da fragilidade- no corpo social o motivo de permanecer nela me parece bastante óbvio ( essa questão também responde a pergunta por que algumas pessoas são mais suscetíveis a viciar do que outras) : a manutenção do problema.

Quando o motivo não cessa, se continua a precisar desse  "anestésico social", até chegar ao ponto de você não conseguir mais se imaginar sem a ajuda disso. O que uma pessoa, dependente  de certa medicação anti-depressiva, por exemplo,  lhe diria se você a indicasse uma mudança nas suas relações sociais -atividade ao ar livre, um novo curso, p.e.-  em substituição ao seu remédio? Certamente ela lhe diria que não poderia sequer imaginar a ideia de viver sem eles não é mesmo? E é possível que sozinha ela fracassasse mesmo, a superação solitária , é de fato, muito dificil. Então, o mesmo se aplica a alguém alcoolatra, viciada em academia, em tranquilizantes ou em crack,  p. e. Isso sem citar os suicidas- ou alguém acha que pessoas felizes e satisfeita com a sua vida resolve findá-la? - O que quero dizer é que sem resolver o problema que o aflige, não há como recuperar sua vivência socialmente sadia.

 Aqueles que não viciam facilmente são exatamente aquelas pessoas que não dependem apenas das drogas- visão generica não esqueçam - para satisfazer seus prazeres ou que não precisam delas para se relacionar melhor, ou pra ter maior desempenho em qualquer coisa p. e.. Ou seja, o que se precisa tratar são os problemas das pessoas, o que as levou até lá, e não as drogas em si. Deve ser um trabalho individualizado, pois são motivos desencadeadores diferentes, e não essa simplificação dos sujeitos. O que eles precisam é de incentivo e razões para viver, de soluções para alcançarem a realização e não de ficarem falando o tempo inteiro da sua vida de viciado. O que deveria ser discutido era o motivo que os levou até lá, para que eles tenham a consciência das razões e das suas fraquezas que proporcionaram essa busca pela sua evasão do mundo para que assim possam entender e mudar as coisas.

Por trás de um problema de vicio, normalmente está um problema pessoal e esse é que deve ser atingido e solucionado. Eu não estou dizendo que pessoas viciadas em qualquer coisa não precisam de tratamento, mas que a maneira que oficialmente executam está equivocada. Mais um problema que entra para o rol de paliativas e insuficientes. A razão para não trata-lo de modo correto daria um outro post, mas como posts longos causam calafrios e são repulsivos na comunidade blogueira eu encerro por aqui.

Como vocês podem ver, não se deve subestimar as coisas aparentes inofensivas. Um episódio de uma série que deveria ser unicamente entreterimento cômico se mostrou uma excelente chance de discutir problemas sociais.

Pronto falei, agora é  a sua vez.
;)

21 comentários:

Bruno disse...

Primeiramente, ótimo post. Muito boa escolha do tema, que, ao que me parece, é um problema social, tendo efeitos a nível individual. As drogas, lícitas ou não, são maneiras de afirmação. Em nossas atividades buscamos relações, sejam com pessoas ou outras tantas coisas, que ajudem a expandir nossa potência de viver, nosso universo de possíveis, possibilidades. Afirmar um ato, no caso utilizar uma droga, é a busca de afirmação de alguma coisa, algum desejo, que somente a droga pode possibilitar (pelo menos para a pessoa em questão). A questão do vício é que, ao passo que ela potencializa, ela diminui os outros possíveis, aparecendo como única possibilidade, achatamento do modo de existir. O vício cobra isso. Não sei se estou sendo claro, mas como diria Nietzsche, ou eu em nome dele, a questão é vontade de potência!

www.costabbade.blogspot.com

Thiérri disse...

Olá, Tati!
Muito bom o post... assisti ao episódio pois acho a série MUITO BOA!

Quanto ao uso de drogas, o que leva uma pessoa a buscar o vício é tão variável quanto as pessoas que usam, já o "manter o vício" se deve pelo fato das drogas darem uma sensação boa às pessoas. Ninguém toma laxante porque o efeito é ruim. Nesse caso o ideal é nem provar!

Como estudante de comunicação, vou aproveitar para deixar uma dica!
Seu texto é muito bom, mas a formatação dos parágrafos é ruim. Ao entrar no blog o que o leito vê é um texto que parece um bloco único! Minha dica é dividir mais os parágrafos! Assim como fiz no meu comentário, onde é possível ver claramente 3 blocos de texto!

Beijo e boa sorte!

Osrevelatti disse...

Colega gostei muito do seu blog
Postagem bastante interessante, a droga é o menor problema o maior problema do viciado é o que faz procurar a droga, o seu blog é muito bom vou da uma dica q ajuda o blog coloca cores nas palavras mais importante da materia, e o tamanho do post tento fazer pequeno tambem por isso , gostei muito dos seus textos, vou tentar sempre passar por aqui.

abraço

http://therevelatti.blogspot.com

Jéssica L.A. disse...

parabens pelo post, pela iniciativa...
nossa o tema é muito bom, parece q tem pessoas q preferem deixar de lado essas coisas.
muito bom testo!
parabens!

otimo blog!

Canto do Lufa disse...

é uma discussão polêmica

California disse...

drogas ainda é um problema bastante sem controle! digo que se iguala ao viros HIV... por tentar resolver mais nunk axam a solução!
ótimo post!

poderia só ser menos um tikim neh!
^^

beijos

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

UUii...

Haham..
Praticamente estou sem resposta. Acho que é uma questão de força em suportar uma determinada fase da vida. Existem situações que você para e até pensa "puxa...por isso fulano foi pra esse camino", mas tambem existem situaçoes que você se pergunta "pra quê animal?!?".
Tem gente que diz que é falta de Deus...
tem gente que diz que é falta de corajem...
tem gente que diz que é falta de amor..
e pessoa s como a minha avó dizem que é falta de porrada...
E a maior desgraça de todas...é que todos os motivos acima.. tambem levam ás drogas....

ou seja... não tem "porque".. ainda é uma questão de escolha...
escolha burra na minha opinião.. mas ainda escolha..

Franzinha Scher disse...

REALMENTE É UM TEMA MUITO BOM PARA DEBATER ...
você escreve muito bem ...
Parabéns !
hoje em dia uma das coisas que está acabando com a vida dos jovens é com certeza a Droga ....
não acho que vc sofrer por algo , ter problemas na familia e tal seja um muitvo para levar alguém para esse caminho ...

30 e poucos anos. disse...

No mundo atual a todo momento surgem oportunidades de discutir os rumos da sociedade e humanidade.
Drogas na minha opinião é a forma mais fácil de fugir da responsabilidade do mundo.

sosacaesosac disse...

muito bom o post
é um assunto muito polemico mesmo
parabéns

abras

Entre e Confira o meu ;)

M!sunderstood disse...

Olha adorei o post, uma pena que eu não tenha visto o último episódio, eu adoro a série, e acho que aborda as coisas comuns da vida, de uma forma cômica e leve que agrada a todos.

Se puder, dá uma passada no meu blog

http://reflexo-da-alma.blogspot.com


abraços, m!sunderstood

Anny Ayanamii disse...

Otimo post
hj as dogras destroem a sociadade pq ela cria ladroes e assassinos.

Gui disse...

é polemico, porem um tema que deve ser discutido e mt bem abordado como vc fez.. :)

Palavras Para Você disse...

gostei do post...assunto interessante e sempre é bom discuti-lo...
a pessoas que se envolvem nos mais diversos vícios por vários motivos p/ se esconder da realidade , as vezes pra se encaixar a um determinado grupo...os motivos podem ser diferentes, mas uma coisa é certa nunca será a melhor escolha...assuntos como esse merecem ser discutidos e abordados...
Parbéns pelo blog...

Vanda Ferreira disse...

Concordo com você! Sempre achei que não basta combater apenas as drogas se não há uma ajuda para que a pessoa viciada consiga resolver tudo o que lhe aflige. O que se deve é ajudar a pessoa no tratamento do vício e paralelo a isso ajudar a pessoa a ter competência, força de vontade e confiança em saber que sem as drogas, que por ela e somente por ela, ela vai conseguir resolver os seus problemas!!!

Adorei o texto! Muito inteligente!

Vanda Ferreira: http://vanda-ferreira.blogspot.com/

Jr disse...

Muito legal esse texto .
Realmente , o problema das drogas é um caso de saúde pública.

Deveria haver um maior combate e prevenção ao uso de entorpecentes , além de uma ampliação do programa de reabilitação de dependentes , que atualmente é muito falho .

Érico Pena disse...

Dia 25/06 foi o dia sem globo por isso eu nào assisti o seriado hehehe... brincadeira amiga, confesso q não sou mt fã da série, mais depois desse seu comentário acho q vou começar a assití-lo. e parabéns por mais um post bastante interessante e que nos faz parar p/ refletir certas coisas. Vc como sempre me surpreendendo!!Grande abraço parceira :)

Érica disse...

Devo confessar que não assisto a Globo, portanto nem sabia da existência dessa série até o momento em que entrei aqui. Contudo, você conseguiu descrever bem a problemática abordada no episódio, assim que é possível compreendê-la. Concordo com vocÊ que o vício, muitas vezes se torna uma forma de fugir dos problemas (quando estou muito nervosa sinto vontade de fumar). Você foi feliz na sua conclusão, de que é preciso tratar o problema que foi a razão da pessoa ter procurado esse caminho, essa é a melhor forma de se tratar um viciado.

http://alma-feminina.blogspot.com/

Iberê disse...

"Luciano era um verdadeiro personagem, loiro e forte... engraçado tambem. uma criança grande que, no meio da rua, fazia alteres com duas latas de cimento presas por um cano... as pessoas passavam e faziam uma piada. Invariavelmente, as garotas passavam e era ele quem fazia uma piada com elas...
Um verdadeiro personagem de novela das 7, boa praça, cabeça de menino em corpo de homem. Até o nome era de novela: alemão !
Só que alemão não morava num bairro central ou num estudio, ele morava na periferia da cidade grande e era viciado em drogas !
Ele havia passado dez anos preso, assaltos para alimentar o crack...
Solto há poucos dias, ele passava os dias alimentando seu porquinho da india, namorando ou jogando bola com as crianças na rua.
Conseguir um trabalho era dificil, ex presidiario nao inspira confiança, mas alemão era gente boa e se arrumaria por ai.
Não se arrumou, uma noite na rua e o vicio voltou, sumiu e a mae saiu pelas ruas até encontra-lo vagando quase sem roupa, alucinado.
Lavou o filho, curou as feridas e o deitou na cama, como fazia desde sempre.
Alemão chorou e se arrependeu, mas a vontade do crack é maior que a vontade do homem.
Alemao roubou pra pagar a pedra e foi preso.
Passou uma ano na cadeia e eu nao ouvi falar mais dele.
um dia eu estava entrando num cinema quando o telefone tocou: "meu irmao morreu !"
era chuva e eu nao pude ir, alias ninguem pode ir no enterro do Luciano. Facilmente consolamos nossa consciencia, afinal era um drogado e temos que ir dormir pois amanha trabalhamos.
Deito na cama e de repente me pergunto: agora quem vai alimentar o porquinho da india ?"

Ibere

jaka disse...

Drogas fazem parte da sociedade há seculos, no mundo animal tem ate algo semelhante;
O prazer, a experiencia de novas sensações sao sempre atraentes, fugas emocionais tem a ver, mas nem todos caem nessa furada por isso, há casos e acasos, geralmente começa como brincadeira, e então a bola de neve aumenta soterrando cada vez mais sem deixar o usuario se libertar......

A Fratura Exposta da Palavra! disse...

Tati, eu não vou ler os comentários acima;
Entretanto concordo contigo fielmente.
No caso de drogar-se por fuga é o mais normal, pode ocorrer com pais de família ou adolescentes em baladas.
O que é terrível é que podem ser aconselhados por quem deveria tutelar.
Bom, pelo que pude perceber grandes posts levam a comentários maiores ainda. rs
Parabéns, pelos seus posts e pelo sucesso dos comentários!!!

Postar um comentário

Um comentário diz muito sobre você.
Comente com inteligência.

(retribuo comentários bem feitos- afinal,se vc escreve bem aqui, escreve bem lá. ;)

Pesquisar este blog