Páginas

Ok, Michael Jackson morreu e todo mundo esqueceu do que tah fazendo vergonha na política brasileira pra lamentar a morte do astro pop. Claro que eu não quero colocar a questão se ele foi ou não relevante para a música, até por que isso é indiscutível, mas só lembrar que enquanto a mídia só fala em alguma tragédia, o tempo inteiro e em todos os jornais, os nossos "bons políticos" aproveitam para ofuscar suas maracutaias. Mas eu também não comecei a postar esse texto para falar sobre o que de importante está deixando de ser mostrado na televisão. Olha só o título, eu vou falar mesmo é do Michael . Mas não é sobre a sua grande influência nos ritmos. Bem deixa eu parar de enrolar e ir direito ao assunto. Estavámos eu e minha prima conversando e assistindo mais uma matéria sobre a vida do Michael Jackson. E claro que eles não deixam de falar sobre a badaladíssima vida pessoal do cantor. E especificamente na parte que falava das inúmeras cirurgias plásticas e as "desculpas " usadas por ele para justificá-las surgiu um assunto bem interessante: Por que ele queria tanto mudar a aparência? Minha prima levantou a incredulidade sobre ser mesmo por motivos de saúde essas interferências e me deu margem para viajar né? bem a minha cara... Eu acho q todo mundo q dá uma olhadinha aqui já notou que eu sou meio ligada em psicologia. E depois desse comentário eu comecei a tentar dar meu diagnóstico sobre o "caso". Eu me lembrei de uma matéria que eu li, ou alguém me disse não me recordo bem, na qual era tratada a questão do racismo nos EUA na década de 60,70. Lembro-me que foi feito um teste com várias crianças negras. Era apresentado a elas duas bonecas, uma negra e uma tipicamente branca(loira dos olhos azuis) e depois eram questionadas sobre com qual das bonecas elas pareciam e a resposta unânime era : " com a branca". Numa leitura superficial você vai me dizer: sim e daí?! Então para não ficar essa questão do sim e daí vamos averiguar o que essa pequena resposta tem de complexa. O que tem por trás dessa escolha. As crianças negras não conseguiam aceitar-se como eram. A sociedade impunha um comportamento e um padrão de beleza que fazia, como hoje ainda faz, as pessoas não se aceitarem e a terem vergonha se assumir-se tão qual são. A escolha da branca é a rejeição da origem, e a não aceitação da sua própria imagem. Eu gostaria de lembrar que esse teste foi feito com crianças! Imagine só os adultos que eles se tornaram! E imediatamente, sem ter como não associar, eu lembrei do Michael. Pode ser , claro que é uma hipótese de uma criatura doida que viaja legal (hahaha), que ele tenha sofrido dessa mesma rejeição de si próprio. Ele certamente não achava que ficaria mais famoso, ou seria mais aceito pelo público se embranquecesse, até porque o seus grandes sucessos e quando ele estourou no mundo da música ele ainda tinha traços do povo negro. A não aceitação não era exterior, era íntima, era dele com ele mesmo. Agora imaginem só como não é insatisfeita uma pessoa que passa a vida toda tentando ser algo que ele julga ser o melhor, o mais bonito. Triste... mas que a vida do astro pop foi triste e solitária isso todo mundo sabe. A vida dele era uma insatisfação constante, interminável. A ponto dele ter desfigurado o próprio rosto( depois de tantas cirurgias- observe a fotografia que ilustra essa matéria) com o desejo de alcançar um resultado inalcansável. Porque todo o padrão de beleza que foi incorporado por ele era uma idéia, ela nunca se concretizaria. Sinceramente, essa linha de raciocínio me fez entender muita coisa. Ele nunca se envolveu com mulheres negras- talvez por querer ter filhos brancos, como ele nunca pode ser e que julgava ser os melhores. Nunca ficou com nenhuma delas de verdade- Por que ele não poderia crer que o aceitassem, porque ele mesmo não se aceitava. Temos o péssimo hábito de esperar que os outros sejam meras imagens de nóse achem exatamente a mesma coisa. Teve uma vida para trabalhar e tentar ser o menino que desejou ser, a ter as coisas e necessidades que a sociedade o fez crer que precisasse. E quando estava suficientemente milionário foi tentar ter a sua tão sonhada infância. Em um lugar chamado "terra do nunca", muitíssimo adequado para um homem que sempre teve sonhos impossíveis. Ai ainda surge a questão: O homem é produto do meio? Sim, ele é, na grande maioria das vezes. Não na concepção de antigamente na qual o homem que nasce em lugar fértil se tornará necessariamente agricultor. Mas na qual existe o poder e a dominação ocultada, mascarada, disfarçada. De maneira tal que nos fazem acreditar que estamos agindo pela própria vontade quando na verdade é trabalhado maneiras de envolver você a tal ponto que se faça acreditar que tudo é advindo do seu desejo, da sua livre manifestação e vontade quando de fato, você está se comportando de maneira totalmente previsível e minuciosamente calculada. Falando assim parece que não estou falando de pessoas e sim de marionetes, mas não se enganem, os donos do poder fazem isso conosco sem que nos demos conta. Cria necessidades, desejos, comportamentos, anseios, frustrações criam verdades que legitimam e atende aos seus interesses. Começamos a falar de Michael Jackson, entramos no racismo, passamos pela psicologia e agora adentramos no tema de sociologia ciência política e dominação. Texto bem inter-disciplinar esse... hahaha Mas eu gostaria de levantar a questão e a observância. Você já parou pra analisar de onde vem as coisas que deseja? Porque você quer e como quer. Porque você se comporta de uma maneira e não de outra? Porque aceita uma verdade e rejeita outra? Toma isso como certo e aquilo como errado...? É uma boa reflexão.. aconselho que se discuta com alguém, a opinião de outras pessoas colaboram para aumentar sua linha de raciocínio, ampliar os horizontes e ver por outras óticas. Aposto que será uma experiência bem interessante. Minhas melhores ideias de discussão é as que eu tenho inocentemente com outras pessoas. Pequenos comentários que reservam em si uma grande linha de pensamento. Boa reflexão xerim Tatiana.

3 comentários:

*Teta de Nêga* disse...

Belo post!

Sou fã do Michael e só posso dizer que foi lamentável a perda dele.
Quanto aos nossos desejos, eles vão de cada um e acredito que quase tudo pode ser realizado!

Daniel L disse...

O branco sempre se fez parecer ideal para tudo e a questão do racismo é um problema social muito anterior à nossa época.

Remonta ao período bíblico, aos filhos de Cam.

Tá na hora de acabar com isso de racismo. E muitas outras diferenças mais.

Ana Paula Moreira disse...

Seu texto acabou uma miscelânica mesmo... vários assuntos.. rsrs. O Michael Jackson foi ícone e gênio da música pop. Mas concordo que estamos falando demais dele e esquecendo dos podres do congresso. Quanto aos desejos.. cada um tem o seu, e é dificil explicar de onde vem. Certas coisas são universais. Todo mundo quer ser feliz, tem um bom emprego, ou ganhar na mega sena... rs

Postar um comentário

Um comentário diz muito sobre você.
Comente com inteligência.

(retribuo comentários bem feitos- afinal,se vc escreve bem aqui, escreve bem lá. ;)

Pesquisar este blog