Páginas

Fundação SOS Mata Atlântica e Inpe analisaram dados de 2005 a 2008. Minas Gerais é o estado em que houve maior registro de desmatamento.

Atualmente, em Minas, restam apenas 9,68% da cobertura original de Mata Atlântica (Foto: Reprodução/TV Globo)

Estudo divulgado nesta terça-feira (26) mostra que, entre 2005 e 2008, em dez estados brasileiros avaliados, foi desmatada uma área de Mata Atlântica equivalente a cerca de dois terços do tamanho da cidade de São Paulo. Segundo o estudo, 1029,38 km² de mata foram desmatados no período considerado. As informações foram levantadas pela Fundação SOS Mata Atlântica em conjunto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Segundo o relatório Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, a área original da mata no Brasil era de 1,315 milhão de km², distribuída em 17 estados (PI, CE, RN, PE, PB, SE, AL, BA, ES, MG, GO, RJ, MS, SP, PR, SC e RS). As informações mostram que esta área atualmente é de 102.012 km², o que significa que a extensão do bioma foi reduzida a 7,91% de seu território original. Essa porcentagem totaliza fragmentos de mata acima de 1km², e tem como base remanescentes florestais de 16 dos 17 estados em que há Mata Atlântica.

Se forem incluídos os fragmentos acima de 0,03km², o estudo mostra que a área de Mata Atlântica remanescente totaliza 11,41% da cobertura original.

O estudo divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica não analisou dados do desmatamento no Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, em Pernambuco, na Paraíba, em Sergipe e Alagoas.

Média mantida Flávio Ponzoni, coordenador técnico do estudo, diz que a média de desmatamento total observada nos períodos 2000-2005 e 2005-2008 se manteve praticamente a mesma. Entre 2000 e 2005, 349,65 km² de mata foram desmatados por ano, em média. Já de 2005 a 2008, uma média 341,21 km² do bioma foram desmatados por ano. Ponzoni, entretanto, afirma que, “nestes três anos, confrontando com os cinco anteriores, foi desmatado quase o dobro nos dez estados analisados. O que detectaremos nos próximos dois anos se a tendência se mantiver?” Minas Gerais no topo O estudo mostra que os estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia e Paraná foram, nesta ordem, os que registraram maiores índices de desmatamento no período analisado. Esses estados perderam áreas de 327,28 km², 259,53 km², 241,48 km² e 99,78 km², respectivamente, entre 2005 e 2008.

Minas Gerais, de acordo com o relatório, possuía, originalmente, 272,3 mil km² de Mata Atlântica, que recobria 46% de seu território. Atualmente, restam apenas 9,68% da cobertura original. Algumas das razões para esse resultado são, segundo Mário Mantovani, diretor de Mobilização da Fundação, os desmatamentos em áreas de limite entre a Mata Atlântica e o Cerrado, “principalmente em Minas Gerais, por conta da extração de carvão para a siderurgia”.

O município de Jequitinhonha (MG) é o primeiro da lista dos que mais perderam Mata Atlântica no período. Foram 24,59 km² de desmatamento. Em seguida vem Itaiópolis (SC), com 18,06 km², e Bom Jesus da Lapa (BA), com 17,97 km². Além de Jequitinhonha, Minas Gerais tem outros três municípios entre os dez primeiros no ranking de desmatamento – Águas Vermelhas (6º), Teófilo Otoni (7º) e Pedra Azul (9º). Conexão entre fragmentos Um dos maiores riscos para o remanescente de mata é a falta de conexão entre um fragmento e outro. Montovani afirma que “a falta de conexão causa sérios problemas, chamados de ‘efeitos de borda’, ou seja, agressão por fogo, veneno, plantas invasoras, dentre outros”.

0 comentários:

Postar um comentário

Um comentário diz muito sobre você.
Comente com inteligência.

(retribuo comentários bem feitos- afinal,se vc escreve bem aqui, escreve bem lá. ;)

Pesquisar este blog